IFRO Campus Cacoal envia equipe para 7ª edição da OBAP

sergio 1 de setembro de 2017 0

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Cacoal, enviou nesta quinta-feira (31) uma equipe para representar a unidade na sétima edição da Olimpíada Brasileira de Agropecuária (OBAP), que vai ocorrer entre os dias 1º a 3 de setembro na cidade de Barbacena, Minas Gerais.

A OBAP é uma competição científica nacional destinada aos alunos do curso Técnico em Agropecuária e demais cursos do Eixo Tecnológico Recursos Naturais de todo Brasil e pretende promover uma maior produção de inovações tecnológicas e desenvolvimento regional, retornando assim, para a sociedade brasileira, benefícios originados da melhoria no ensino público de nível médio e técnico ligados à agropecuária.

Nesta edição, o Campus Cacoal irá concorrer na modalidade dos cursos Integrados ao Ensino Médio com a equipe Agro-IFRO, formada pelos alunos Camila Maximiano, Raiani Nunes e Vinicius Tomaz. Eles participam da atividade sob a orientação do Engenheiro Agrônomo da unidade, Arnaldo Libório.

Expectativas

É a segunda vez que Tomaz participa da fase final da OBAP. Em 2016, ele também representou o IFRO no evento e prevê um desempenho melhor nesta edição. “Entendo que neste ano a interação entre a equipe está melhor e isso favorece nossa participação. Sinto certo peso, uma responsabilidade em representar o campus, ainda mais se pensar que há muitos bons alunos que poderiam ir também. Mas isso também nos motiva a buscar a vitória”, diz Vinicius.

O verbo vencer também é recorrente nas declarações de Raiani, que não esconde a expectativa em participar da OBAP. “Não é arrogância, mas precisamos ter esta pretensão de conquistar a vitória e trazer uma medalha. Acho essa uma experiência fantástica. Agrega ao nosso currículo, traz mais experiência, nos ajuda a lidar com a pressão, com o nervosismo e nos dá a oportunidade de adquirir mais conhecimento e outras formas de pensar”, conta.

O trio explica que na fase final da OBAP terão de fazer duas provas práticas, uma para reconhecer deficiências nutricionais e outra que prevê a coleta e amostra de solo. Além disso, eles farão uma prova teórica individual, cuja soma e média das notas terá impacto na classificação final da equipe.

Além do ensino

Camila, que está no segundo ano, conta que fez uma programação de estudo especial para realizar a prova. “Como há conteúdos que eu ainda não vi em sala, peguei a ementa e revisei todos os conteúdos. Não foi muito complicado, pois os temas são interligados e aquilo que já vi em sala me dá base para compreender o restante”, explica.

Além disso, a equipe Agro-IFRO também teve de realizar um pitch sobre um circuito de turismo rural que pode ser realizado no Campus Cacoal. “Acho que essa foi uma das provas mais difíceis até agora, mas foi boa no aspecto de que também nos ajuda a lidar com o nervosismo, algo que vamos precisar fazer durante a prova”, comenta Tomaz.

Camila concorda com o colega e também valoriza a oportunidade de desenvolver novas aptidões através da OBAP e do IFRO. “Participar da Olimpíada representa para mim uma grande oportunidade. Ela também demonstra uma das vantagens em estudar no Instituto, que trabalha com uma visão de investir nos alunos, promovendo desenvolvimento profissional, além do ensino”, finaliza.

Fonte: Assessoria – IFRO