Apesar da doutrinação islâmica, cada vez mais jovens se entregam a Jesus no Irã

sergio 21 de agosto de 2017 0

Os jovens iranianos estão escolhendo seguir a Cristo em um número cada vez maior, apesar da forte doutrinação islâmica em suas famílias e escolas estaduais.

De acordo com a agência de notícias ‘Mohabat News’, que acompanha o avanço do cristianismo no Irã, onde os cristãos muitas vezes sofrem perseguição, o número de jovens convertidos ao Evangelho aumentou em uma “taxa exponencial” nas últimas duas décadas.

A notícia foi confirmada em tom de alerta pelo aiatolá Alavi Boroujerdi, um funcionário do seminário islâmico, que citou os “relatórios precisos que indicam que os jovens estão se tornando cristãos em e congregando em igrejas domésticas”.

O relatório da ‘Mohabat News’ observou que “esta alta taxa de conversão da juventude iraniana ao cristianismo está ocorrendo de forma notável, apesar da forte doutrinação islâmica sobre juventude dentro de suas famílias e no sistema educacional”.

“O governo islâmico do Irã dedica orçamentos maciços ao apoio de organizações muçulmanas que promovem o islamismo entre os jovens, dentro e fora das fronteiras do Irã. Esses esforços para atrair a juventude iraniana são muito mais visíveis nas cidades islâmicas, como Mashhad e Qom”, afirmou o texto.

“Independentemente desses esforços, a juventude iraniana parece se tornar cada vez mais distante do Islã, o que é motivo de grande preocupação para o governo islâmico iraniano”, acrescentou o relatório.

O governo iraniano respondeu a este alerta, gastando milhões na propaganda islâmica e promovendo fortes campanhas para fechar as igrejas em todo o país.

No entanto, de acordo com as estimativas do grupo missionário ‘Elam Ministries’, atualmente existem mais de 360.000 cristãos no Irã hoje, enquanto havia apenas 500 em 1979.

“Os líderes da Igreja acreditam que milhões de pessoas (jovens e adultos) ainda podem se entregar a Jesus nos próximos anos – tal é a fome espiritual que existe e a desilusão com o regime islâmico”, informou o grupo Elam.

“Se permanecermos fiéis ao nosso chamado, nossa convicção é que é possível vermos ainda em nossos dias de vida a nossa nação sendo transformada. Porque o Irã é uma nação de passagem estratégica, a crescente igreja no Irã afetará as nações muçulmanas no mundo islâmico”, explicou.

Fonte: Guia-me / com informações Hello Christian